BLOG

Zicatela PRO 2012 teve triagens definidas nesta sexta feira

Postado em 28.09.2012

0 comentários

O sexto evento do Circuito Mundial GSS começou em Puerto Escondido, México, com a previsão de duas grandes ondulações que brindarão esta importante competição durante os 10 dias de período de espera entre 27 de setembro e 06 de outubro.

Os melhores atletas do mundo estão prontos para o Turbo Zicatela PRO 2012 que pode decidir o título do ano com Dave Winchester liderando o circuito, mas seguido por Pierre Louis Costes, Jeff Hubbard, Mark McCarthy e Guilherme Tâmega.

Durante as triagens, o local Cesar Petroni se mostrou muito à vontade nas fortes ondas de Zicatela, conseguindo avançar dois rounds, mas foi eliminado na terceira fase.

Entre os brasileiros, João Zik e Nicholas Bastos conseguiram a classificação para o round quatro, mas finalizaram foram eliminados.

O mexicano Chuy Silva foi um dos convidados especiais “wild card” e, para fazer por merecer, conquistou uma nota 10 perfeita para levar a torcida local ao delírio. Um tubo profundo, finalizado com um rollo no final da onda fez com que ele obtivesse a melhor nota das triagens.

Quem obteve o melhor resultado para a torcida verde amarela foi o carioca Sergio Luiz que passou pela quarta fase, pelas quartas de final e chegou à semifinal. Mesmo não conseguindo pontuação suficiente para chegar à final, foi suficiente para ele se classificar para o evento principal.

A final foi liderada até os últimos cinco minutos pelo venezuelano Alberto Colucci, mas Chuy Silva mudou o resultado com um aéreo de 6.88 pontos e um ARS que o levou para a liderança.

Porém, o francês Yoan Florantin conquistou 9 pontos para virar novamente o resultado e vencer as triagens!

Os sete primeiros colocados conquistam uma vaga para a competição GSS

1. Yoan Florantin
2. Chuy Silva
3. Jones Russell
4. Alberto Colucci
5. Liam O´Toole
6. Jorge Colomer
7. Sergio Luis

 

Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Sergio Luis Ruyman Rey Estrutura do evento Estrutura do evento Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Estrutura do evento Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 Zicatela PRO 2012 O vencedor das triagens Yoan Florantin Zicatela PRO 2012
Comente
0 comentários Comente agora!
Compartilhe

O NMD Shark Island 2012 começou! Acompanhe agora!

Postado em 23.07.2012

0 comentários



O tão esperado evento em Shark Island está na água! Acompanhe AO VIVO.

Comente
0 comentários Comente agora!
Compartilhe

Dave Winchester vence o Itacoatiara PRO 2012 e Guilherme Tâmega é segundo

Postado em 14.06.2012

0 comentários

Um evento que vai ficar na história do Bodyboarding nacional, é o que se pode dizer depois de quase uma semana de competições do Itacoatiara PRO 2012. 

Um espetáculo de bodyboarding que ficará gravado na memória de todos que assistiram esse evento épico. 

O Brasil foi muito bem representado por todos os atletas, especialmente os quatro que foram classificados para as quartas de final. 

Apesar de não serem grandes, as ondas estavam com condições excelentes. Boas ondas brindaram os competidores no dia decisivo! 

Quartas de final 
O primeiro duelo da fase foi entre Ben Player e Pierre Louis Costes. Player mostrou o mesmo desempenho que teve desde o início da competição e superou o atual campeão mundial para avançar para a semifinal de mais um evento. 

No segundo heat, Uri Valadão seria o primeiro brasileiro a participar desta fase, que, com muita insistência, tentou vencer Dave Winchester. Porém, o aussie está em muito boa forma, como ele mostrou nos últimos eventos. Assim ele superou o bahiano voador e vai somando pontos importantes ao titulo mundial. 

A terceira bateria foi uma disputa local entre brasileiros: Guilherme Tâmega e Eder Luciano. Um confronto de gerações entre representantes do clássico estilo brasileiro. GT é a fonte de inspiração de Eder e muitos outros bodyboarders da elite brasileira. E, em uma disputa entre o mestre e o discípulo, quem levou a melhor foi o hexa campeão mundial. Assim o carioca chega a mais uma semifinal do circuito mundial. 

Na última bateria do round, Mitch Rawlins enfrentou o último representante do Brasil nas quartas de final, o local José Otávio. Mitch mostrou que está um nível acima da maioria dos competidores da atualidade. Em uma atuação de "luxo" com direito a sua manobra "registrada", o 360 aéreo invertido, ele conquistou 9,5 pontos logo na primeira onda para selar a vitória. 

Semifinais 
A primeira bateria foi entre amigos: Ben Player e Dave Winchester disputavam onda a onda quem conquistaria a vaga da final. Dave se superou e fez dois grandes high scores. Em duas ondas muito parecidas ele encaixou um 360 aéreo invertido e deixou o problema na mão dos juízes para definir a pontuação. Resultado: 18,70 de 20 pontos possíveis, que foi o maior score de toda competição! 

Na segunda semi, um duelo de estilos. De um lado, o "frog" brasileiro com seu maior representante: GT introduziu um estilo próprio no circuito mundial com sua maneira de competir. De outro, um dos melhores representantes da tradição aussie com seus 360s de pernas cruzadas em "x". Todos esperavam muito por essa bateria. Logo no início, os dois atletas se cruzaram na mesma onda e, como ainda não havia prioridade, acabaram cometendo interferência dupla. Mesmo com o todo o esforço dos dois, o "score" do heat já estava comprometido. GT superou o adversário com uma pontuação muito pequena, mas o que importa é o resultado e assim ele enfrentaria Winny, repetindo a final do evento em Arica, no Chile que aconteceu há poucas semanas! 

Final 
O duelo entre Guilherme Tâmega e Dave Winchester já esta ficando costumeiro em finais, mas ainda assim esta seria a bateria mais esperada, pois definiria o campeão do evento mundial no Brasil. 

GT e todos os torcedores brasileiros queriam devolver a derrota que ele sofreu para Winny em Arica. Depois da semi, o brasileiro parecia um pouco "nervoso" e não encontrou boas ondas. Ele não desistiu do título da etapa até o último minuto, chegou a sair da situação de combinação de notas que esteve durante boa parte da bateria, mas realmente não encontrou ondas melhores que as do australiano. 

Dave Winchester Dave Winchester Ben Player Eder Luciano Guilherme Tâmega Mitch Rawlins Uri Valadão Guilherme Tâmega Dave Winchester Dave Winchester Dave Winchester Dave Winchester Resultados
Comente
0 comentários Comente agora!
Compartilhe

A história do Bodyboarding no Hawaii

Postado em 28.01.2012

0 comentários



"A temporada havaiana já esta bombando e os bodyboarders começaram a invasão que dura até meados de março!

Deixo aqui uma dica para os que vão visitar as ilhas. Para aproveitar os poucos dias de flat ou até mesmo para depois das sessões de surf, já que no inverno havaiano anoitece cerca de 17h40min, vale muito conhecer os diversos museus espalhados por Oahu. Desde os mais famosos, como o Bishop Museum em Honolulu, ao aconchegante Surf Museum em Haleiwa.

O Bishop Museum fica no Nº 1525 da Bernice Street. Aberto todos os dias, menos terça-feira. O preço é salgado, U$ 17, mas vale cada centavo. Você poderá ver exposições sobre a história das ilhas, fauna e flora.

O Surf Museum fica no North Shore Marketplace no Nº 66-250 da Kamehameha Highway. O horário é mais flexível e a entrada é grátis.

O museu parece uma surfshop dos anos 50-60. Repleto de pranchas de todos os tipos, muitos equipamentos, placas, fotos e cartazes. E o mais interessante é que algumas peças estão mesmo à venda.

Quando visitei o museu, três modelos de paipo com fabricação entre 1950 e 1966 estavam em exposição. Além de algumas nadadeiras, sendo que uma delas, o modelo Churchill de 1950 apresentava perfeito estado!
Neste local, conheci algumas histórias impressionantes sobre as raízes do nosso esporte. O Rei Kamehameha (1758-1819), que era um sagaz estrategista, durante a sua luta para unificar as ilhas, teve um grupo especial de guerreiros sob o seu comando.

Este grupo de valentes guerreiros era uma espécie de batedores. Tinham como objetivo mapear e espionar os inimigos em áreas de difícil acesso, muitas vezes nas praias protegidas por enormes costões vulcânicos e que só tinham acesso pelo mar com ondas poderosas.

Eles também faziam incursões em rios e muitas vezes entravam em combate aproveitando-se do elemento surpresa, pois chegavam através de locais que o inimigo jamais imaginaria.

Pois bem, o instrumento que estes batedores utilizavam para a função nada mais era que o paipo, a prancha ancestral do nosso esporte.

Munidos de um paipo, estes guerreiros tiveram papel importantíssimo na unificação das ilhas havaianas sob o comando de Kamehameha. O paipo tinha diversas vantagens e a principal de todas era o tamanho perfeito para a função, pois além de transportar o guerreio em qualquer condição de mar, servia também como escudo durante os combates em terra. Ou seja, os batedores de paipo faziam a linha de frente de Kamehameha e eram uma espécie de tropa de elite do Rei.

Portanto, se atitude dos bodyboarders em todo o mundo é sempre muito corajosa a explicação nasceu na origem: este é um esporte de guerreiros.



Umas das mais antigas ilustrações que retrata o paipo representa um dos desembarques do Capitão James Cook na ilha havaiana em 1779.



Outra famosa pintura de Hilo Bay mostra nativos se divertindo com o paipo em 1850
."



Este texto foi elaborado pelo bodyboarder profissional, juiz de bodyboarding e advogado Fernando Torres, administrador do site www.bodyboard.com.br. Ele é um dos atletas de maior experiência no sul do país e, em sua última viagem ao Hawaii, visitou estes museus e vivenciou toda a magia que cerca a terra natal de nosso esporte!

Comente
0 comentários Comente agora!
Compartilhe

Ben Player na King Island

Postado em 21.12.2011

0 comentários

Comente
0 comentários Comente agora!
Compartilhe
TV B2BR
mais videos

B2BR