BLOG

Pierre Louis Costes mostra seu Encanto

Postado em 10.11.2011

0 comentários



Quartas de Final

A primeira bateria do último dia de competições do Encanto Pro Puerto Rico, que é realizado na bela cidade de Isabela, foi a quarta de final número um, entre Dave Hubbard do Hawaii e Jake Stone da Austrália. Uma bateria incrível, disputada onda a onda até o final, mas vencida por uma pequena margem pelo hawaiano Dubb. No final, 17,20 contra 16,80 pontos e assim a primeira disputa já mostrava que seria um dia cheio de emoções!

Na segunda bateria, o capixaba Magno Oliveira enfrentou o sul africano Jared Houston e, felizmente, para a torcida brasileira Magno confirmou a vitória diante do sul africano. Maguinho é o Brasil nas semifinais em Middles.

A terceira quarta de final foi um duelo de campeões do mundo. De um lado, toda a classe e estilo da escola australiana, representada pelo francês Amaury Laverhne, de outro o bahiano Uri Valadão, representando a tradição competitiva brasileira. O atual campeão do mundo contra o do ano passado. Uri provou ao mundo que pode disputar outro título mundial, classificando-se para a outra semifinal.

O quarto heat teve a participação de outro brasileiro, o cearense Roberto Bruno contra o incrível Pierre Louis Costes. Apesar de Bruninho ter surfado muito bem, ele não conseguiu deter o avanço do inspirado francês que ainda mantém as chances do título mundial. Parabéns Bruno, por ter representado muito bem o país.

Semi finais
Na primeira semi, o brasileiro Magno Oliveira, contra Dave Hubbard, um duelo incrível e que já foi a final em Puerto Escondido no ano passado. Dessa vez, o palco era bem parecido, mas, infelizmente para o Brasil, Dubb estava “imparável”, parece que ninguém conseguiria detê-lo.

A segunda semifinal foi entre outro brasileiro, o baiano voador Uri Valadão, e PLC. Uri tentou repetir seu resultado de Sintra para lutar por seu bi-campeonato mundial, apesar das chances remotas. PLC estava muito inspirado e ultrapassou todos os limites nessa bateria. Ele somou uma nota 10 unânime e outra nota 8,00 pontos. Parabéns, Uri pelo outro ótimo resultado para o ranking!



FINAIS
Dropknee
A primeira final foi da categoria Dropknee:  Dave Hubbard contra Damian King, um duelo incrível entre os dois melhores rides da categoria para definir quem é o melhor deste evento.
King fez um tubo mágico de backside para a esquerda, mas Dubb deu o troco a apenas 30 segundos do final em uma esquerda na qual ele executou três boas manobras de backside e ainda completou com um tubo.
King foi o campeão mundial da categoria e Dubb venceu o evento!
 
Feminino
A final é sempre o confronto mais esperado da prova e, agora, todos estavam ansiosos por ver a apresentação das melhores atletas do evento. Lilly Pollard representa a maior pontência mundial do esporte. E a juventude e a radicalidade são características da cearense Isabela Sousa, que, no dia anterior, havia feito a onda mais incrível da categoria!
Nos esportes de alto desempenho, o fator sorte pode ser determinante. A aussie encontrou dois tubos incríveis e pulou na liderança. Isabela usou todo seu repertório de manobras, mas não foi o suficiente para derrotar a adversária.

Masculino GSS
A grande final foi decidida somente no último segundo. Momentos mágicos e de muita emoção para coroar a última bateria do Encanto PRO. Dubb contra PLC, os dois melhores competidores deste evento.
Dubb havia vencido a categoria Dropknee e tentava o feito inédito de vencer a categoria principal para unificar os títulos! E tudo parecia caminhar para o inédito feito do hawaiano, quando Pierre encontrou uma onda salvadora a 30 segundos do final para executar dois backflips na mesma direita e virar o resultado de uma bateria que parecia definida.
PLC continua na disputa do seu primeiro título mundial e o campeão somente será definido em El Fronton, nas Canárias durante a próxima e última parada do tour 2011.


Pierre Louis Costes Dave Hubbard Eder Luciano e Roberto Bruno na torcida por Isabela Sousa Damian King Amaury Lavernhe Dave Hubbard e Magno Oliveira Dave Hubbard Dave Hubbard Dave Hubbard Dave Hubbard Damian King Damian King Magno Oliveira Roberto Bruno Uri Valadão Roberto Bruno Pierre Louis Costes Pierre Louis Costes Pierre Louis Costes Pierre Louis Costes, Dave Hubbard, Uri Valadão Pierre Louis Costes Pierre Louis Costes Isabela Sousa Lilly Pollard Lilly Pollard Lilly Pollard Lilly Pollard Podium feminino Pierre Louis Costes Pierre Louis Costes
Comente
0 comentários Comente agora!
Compartilhe

Quarta feira de muitas competições em Puerto Rico

Postado em 09.11.2011

0 comentários

Em meio a um blackout de internet, não foi possível acompanhar as incríveis manobras que os atletas top do circuito mundial de bodyboarding executavam a cada bateria. Momentos de falha já aconteciam desde o primeiro e o segundo round, mas, durante o terceiro, em nenhum momento a conexão foi estabelecida.



O dia amanhece muito cedo em Isabela e cerca de 6h da manhã já é possível ver os primeiros raios do sol, mas para os internautas de todo o mundo, apenas uma tela preta e “pedaços” de informações “jogadas” na web.

Um dos patrocinadores do evento é uma multinacional das telecomunicações, e desperdiçou a oportunidade de mostrar a milhares de clientes que seus produtos e serviços possuem qualidade.

Polêmicas à parte, o campeonato está sendo realizado em Middles. E assim, ontem, depois da realização do segundo round, deu-se prosseguimento ao terceiro, até uma tempestade piorar as condições rapidamente, obrigando a organização a suspender a competição na terceira bateria.

A primeira disputa Jake Stone venceu. Conquistou a classificação para o próximo round, deixando Pierre Louis Costes em segundo, Tom Rigby, em terceiro e Dave Phillips, em quarto.

Na segunda bateria, Roberto Bruno do Ceará venceu o "garoto de ouro” da empresa patrocinadora e dona do circuito mundial. Ele desbancou um dos principais favoritos ao título desta etapa, mas ninguém conseguiu assistir o feito! Em terceiro, Dave Hubbard e, em quarto, Joe Grodzen.

Para alegria geral dos locais, na terceira bateria do round, o boricua Heison Carrion acertou um aéreo muito forte e venceu a bateria, deixando o canário Diego Cabrera em segundo. Os dois lendários atletas australianos Damian King e Ryan Hardy ficaram em terceiro e em quarto. Com este resultado o campeão mundial de DK - dropknee, Damian King, não se classifica para a próxima fase.

No quarto heat, já realizado na manhã desta quarta feira, não houve surpresa, Jeff Hubbard confirmou o favoritismo e venceu com uma expressiva pontuação. Em segundo, o local Noel de Arce, seguido pelo brasileiro Kalani Lattanzi, que com o resultado fica na barreira dos 10 pontos e com um pé na classificação. Em quarto lugar, para a frustração de muitos admiradores da estrela de vídeos, Michael Novy, que encerra sua participação no evento.

A quinta bateria foi a vez de dois brasileiros lutarem por importantes pontos. Mas, Uri Valadão e Guilherme Tâmega não conseguiram superar o inspiradíssimo Mitch Rawlins que venceu com uma boa margem. Uri ficou em segundo. Felizmente, GT já havia feito dois bons resultados e o terceiro lugar foi o suficiente para garantir a passagem para a próxima fase. Em quarto lugar, Milton Montalvo.

O sexto heat da fase foi vencido pelo veterano Mike Stewart, deixando, em segundo, lugar Mark McCarthy da África do Sul. Em terceiro e quarto, Rafael Rivera e Jorge Colomer.

A sétima bateria foi marcada pela expressiva competitividade dos atletas. Vitória de Amaury Laverhne. Em segundo lugar, Eder Luciano que se classifica as oitavas de final. O terceiro colocado foi o hawaiano Trevor Kam e, em quarto, o amigo português Gastão Entrudo.

Na última bateria do round, mais um brasileiro na água, Magno Oliveira do Espírito Santo. O capixaba conseguiu a vitória e assim confirmou a vaga nas oitavas de final. Serão cinco brasileiros entre os 16 competidores. O segundo colocado foi Dave Winchester da Austrália. Em terceiro, Babby Quiñoñes, local de Puerto Rico e, em quarto, o canário Yeray Martinez.

Oitavas de final
Dando continuidade ao evento, as oitavas de final homem contra homem entram na água. Infelizmente, um problema estrutural básico para um evento de classe internacional continua a perturbar nosso esporte. E, ao que parece, as promessas feitas pela nova administração da entidade resumem-se a criar um site de apostas e comercializar material de merchandising.

Mitch Rawlins foi superado pelo “psicodélico” Dave Hubbard que estava “imparável” durante a primeira bateria. Talvez um resultado diferente do que alguns apostavam, mas Dave somou 18 pontos para avançar para as quartas de final.

A segunda bateria foi transmitida em doses homeopáticas. Em alguns instantes, o stream se manteve ativo e o que se viu foi uma bateria muito equilibrada e disputada onda a onda por dois dos mais completos competidores da atualidade: Ryan Hardy e Jake Stone, dois colegas de equipe, amigos, mas que, dentro da água, são completamente profissionais. Quem viu a transmissão não deve ter entendido o critério usado pelos juízes para definir qual dos dois foi o melhor, pois ambos tinham ondas muito boas e muito parecidas, apesar da grande diferença de pontuação na papeleta final. Jake Stone avança às quartas de final e Hardy torce para que seus adversários não definam o título nesta etapa.

A terceira bateria é um duelo caseiro, entre dois dos melhores bodyboarders da nova geração brasileira. O catarinense Eder Luciano contra o capixaba Magno Oliveira.  Maguinho abriu a disputa com aquela que seria a melhor onda da bateria. Um tubo incrível para a direita, finalizando com um rolo que conquistou 8 pontos. A transmissão foi novamente perdida e o mundo apenas pôde acompanhar as notas desse incrível duelo. É uma pena que ninguém fora da área de competição conseguiu ver esse espetáculo vencido por Magno.

O quarto heat das oitavas de final foi outra disputa caseira, mas dessa vez entre dois sul africanos: Jared Houston e Mark McCarthy. Dois jovens extremamente talentosos e com um grande futuro no cenário competitivo mundial. Jared é o atleta preferido dos comentaristas e foi ele quem venceu a bateria com um 360 invertido na junção.

Um duelo de campeões do mundo na quinta bateria: Mike Stewart, o multi campeão mundial contra o atual campeão, o francês Amaury Lavernhe. Apesar da pontuação ter sido muito próxima na papeleta, a bateria foi totalmente diferente. Amaury surfou muito bem, mandou um backflip para a esquerda e voou em aéreos absurdos. Enquanto Mike vinha mais devagar em ondas intermediárias.

O sexto confronto da fase foi comemorado pelos brasileiros depois da vitória do bahiano Uri Valadão, contra o australiano Dave Winchester. Uri surfou muito bem, encontrou um tubo muito bom para a direita e um outro para a esquerda seguido por um bom ARS.

Na sétima bateria um conforto decisivo. Se Jeff Hubbard perdesse, o título passaria a ser decidido apenas na próxima etapa. Se ele vencesse, poderia ser coroado campeão antecipado. Jeff não demonstrava a mesma tranqüilidade das outras baterias. E assim o inspirado Pierre Louis Costes fez mágica e virou uma pontuação de 17 pontos contra. Ele fez o que muitos achavam impossível: barrar o caminho de Jeff para o título mundial. O resultado da bateria deixou tudo em aberto para a última etapa e Pierre luta pela vitória para melhorar sua situação no ranking.

A última bateria não foi menos emocionante. Mais um duelo entre brasileiros. Guilherme Tâmega contra o jovem cearense Roberto Bruno. Nesse duelo verde amarelo, prevaleceu a juventude de Bruninho contra a experiência do eterno Tâmega.

Semi Finais DK
A primeira semi final foi um duelo entre gerações de campeões do mundo. Damian King, que é bi campeão mundial e foi recém coroado campeão da categoria Drop knee, contra o atual campeão Amaury Lavernhe. Apesar de todo o empenho, MOZ não é tão excelente quanto na categoria prone, por isso foi uma vitima fácil para o recém coroado campeão Damian King.

Dave Hubbard e Cesar Bauer disputaram a melhor bateria da categoria. Ela foi vencida do início ao fim pelo polivalente Dubb. Bauer mostrou muito controle, mas contra um dos maiores especialistas da categoria não existe muita coisa o que fazer...é vencer ou morrer!

A final então será disputada entre Damian King e Dave Hubbard em um duelo de tiitãs!

Semi Finais Feminino
A primeira bateria da categoria que passou ao vivo no stream do evento, foi realmente incrível e entrará para a história. Duas brasileiras; duas gerações representando nosso melhor na categoria feminina. De um lado a Sra Taylor, mãe dedicada de dois filhos e bi-campeã mundial, mais conhecida como Karla Costa, do Rio de Janeiro. De outro, o fenômeno Isabela Sousa, atual campeã mundial e apontada por muitos especialistas como a melhor e mais radical bodyboarders do mundo.

Isabela fez uma onda nunca vista na categoria, um tubo muito extenso para a esquerda que foi finalizado com um 360 aéreo invertido na junção que não seria outra nota a não ser 10! Foi uma onda muito bem controlada e uma manobra de muita projeção que normalmente é realizada desta forma apenas por homens. Isabela conseguiu ser extremamente radical e venceu com o maior somatório: 18,75. Parabéns, Bela! Todos te aplaudem em pé! Parabéns também para a Karla que surfou muito. Buscou mostrar tanta radicalidade quanto, mas não foi páreo para a jovem e cheia de energia, Isabela!

A segunda semifinal foi definida apenas na última onda, quando a australiana Lilly Pollard virou o resultado contra a atleta local Natasha Sargardia e garantiu a honra de enfrentar Isabela na grande final.


Condições desta quarta-feira, dia 09.11 Amaury Lavernhe Onda Paisagem Paisagem Mark McCarthy Jake Stone Onda Isabela Sousa Jeff Hubbard Amaury Lavernhe Lilly Pollard Pierre Louis Costes
Comente
0 comentários Comente agora!
Compartilhe

Damian King é campeão mundial da categoria Dropknee

Postado em 06.11.2011

0 comentários

O domingo em Puerto Rico iniciou com as mulheres. Na água, a quarta fase da categoria feminina com um show da brasileira, que atualmente reside no Hawaii, Karla Costa Taylor ao eliminar a venezuelana Lumar Guittard.

A simpática japonesa Chiaki Okuyama tem surfado muito bem nas últimas competições e mais uma vez conquistou a vitória na segunda bateria do dia. Ela eliminou a porto riquenha Luz Marie.

A brasileira Nicole Calheiros acabou eliminada pela japonesa Akiko Sato, mas, por outro lado, Isabela Sousa mostrou que está em plena forma e eliminou a luso-alemã Joana Schenker na bateria seguinte.

Eunate Aguirre venceu a japonesa Minami Hatekeyama na quinta bateria e Neymara Carvalho acabou eliminada por apenas 0,25 ponto pela atleta local Natasha Sagardia na sexta disputa.

Maylla Venturin e Lilly Pollard finalizaram a sétima bateria com a mesma pontuação, mas, pelo critério de desempate, a australiana segue no evento. Na última bateria desta fase, Catarina Sousa começou a bateria liderando-a, mas Maira Viana impôs seu ritmo, virou o resultado e venceu a bateria.

Dropknee
Damian King e Dave Winchester foram os australianos que derrotaram Javier Cruzado e Kiko Galdos na primeira bateria da quarta fase dropknee. Na segunda, Amaury Lavernhe venceu e Ardiel Jimenez foi o segundo classificado. O fotógrafo oficial da IBA, o sul africano Sacha Specker acabou eliminado na terceira colocação e o americano Billy Andersen, em quarto.

Cesar Bauer venceu a terceira bateria e o americano Devin Ricke foi segundo. Ryan Hardy foi eliminado em terceiro e Gardiel Ruiz foi o quarto colocado. Na última bateria desta fase, Dave Hubbard foi primeiro, Miguel Feliciano, o segundo. Eliminados na terceira e quarta colocações, o sul africano Aden Kleve e o venezuelano Alberto Colluci.

Feminino – quartas de final
As mulheres voltaram para a água para as disputas de mais uma fase. Karla Costa e Chiaki Okuyama definiram o resultado por uma diferença de pouco mais de um ponto. A brasileira, com toda a sua experiência e técnica de campeã mundial, acabou superando a japonesa para garantir sua vaga na semi.

O mesmo resultado entre nações aconteceu na segunda bateria, mas, desta vez, Isabela Sousa eliminou Akiko Sato.

Se a basca Eunate Aguirre conseguisse a classificação, ela estaria muito próxima da conquista do título do ano, mas Natasha Sagardia está aproveitando ao máximo as condições do seu país para buscar um resultado ainda melhor e assim acabou eliminando a européia, adiando a disputa final pelo título para a próxima etapa, na Ilha dos Açores, em Portugal.

A última representante do Brasil, Maira Viana, não conseguiu o mesmo resultado que a Karla e a Isabela, pois acabou eliminada pela australiana Lilly Pollard.

As semifinais ficaram desta forma definidas
1. Karla Costa Taylor X Isabela Sousa
2. Natasha Sagardia X Lilly Pollard

Dropknee – quartas de final
Por uma combinação de resultados, Damian King é o CAMPEÃO MUNDIAL desta categoria, após ter vencido o canário Ardiel Jimenez na primeira bateria!


Damian King Damian King Damian King Visual do evento Área de atletas Área de atletas Bodyboarder Visual do evento Área de atletas Visual do evento Área de atletas Amanhecer em Isabela Eunate Aguirre e Isabela Sousa Jared Houston, Aden Kleve, Clare McGowen Lilly Pollard Minami Hatekeyama Natasha Sagardia Dave Winchester
Comente
0 comentários Comente agora!
Compartilhe

Encanto, ação e muita emoção neste sábado em Puerto Rico

Postado em 05.11.2011

0 comentários



As ondas quebravam na bancada com boa qualidade e, logo ao amanhecer, já era possível perceber que seria um dia incrível de competições! Ondas de 1,5 a 2 metros, perfeitas pelas condições sem vento, ofereceram aos atletas formas de superarem seus limites.

Masculino GSS - Round 1
Na primeira bateria do dia, um debut de alto nível: o australiano Ryan Hardy contra a lenda havaiana Mike Stewart, o jovem australiano Tom Rigby e a lenda local Babby Quinhones. Ainda não era a maré ideal e o mar não estava em sua plenitude, mas mesmo assim Hardy encontrou boas ondas e venceu a bateria, deixando Mike em segundo, Rigby em terceiro e o local em quarto.

A primeira "dobradinha" brasileira foi logo na segunda bateria, Roberto Bruno e Uri Valadão mostraram que os brasileiros não são especialistas só em fundos de areia, vencendo o local Noel deArce. Surpreendentemente, Pierre Louis Costes acabou na última colocação em um ano em que ele não tem conquistado resultados expressivos.

Na terceira bateria do dia, por muito pouco não houve outra "dobradinha" seguida. As ondas do sul africano Jarred Houston foram as que receberam as melhores pontuações da bateria, apesar do brasileiro Kalani Latanzi ter liderado a maior parte da disputa. Magno Oliveira foi terceiro e o local Heison Carrion, quarto.

Outra bateria polêmica foi vencida no último minuto pelo showman Jeff Hubbard de forma inquestionável. Por outro lado, bastante questionada pelos patrícios portugueses foi a virada do atleta porto-riquenho Rafael Rivera sobre Gastão Entrudo que fez uma excelente apresentação.
 
Um fato "estranho" foi o WO do canário Diego Cabrera. Ele está em Puerto Rico, foi visto na noite anterior, mas ainda não havia sido visto na praia até a sua bateria. Não competindo, ele perde uma das três chances de conquistar seus melhores resultados nesta fase não eliminatória.

Na quinta disputa, outra dobradinha verde amarela. Eder Luciano e Guilherme Tâmega contra o Havaiano Dave Hubbard e o norte americano Dave Phillips. Eder surfou apenas três ondas, mas escolheu certo. GT foi segundo. E os Daves americanos, em terceiro e em quarto na ordem lógica de um Hubbard à frente.

O sexto heat deste primeiro round foi, sem dúvidas, o melhor da fase, Mitch Rawlins estava inspiradíssimo. Ele atuou como numa seção de vídeo, em vez de uma bateria tradicional. Manobrou 360 aéreos inversos incríveis, e assim conquistou uma nota 10 unânime naquela manobra executada seguindo perfeitamente o contorno da onda para executá-la em sua máxima forma.
A disputa do segundo lugar ficou entre o sul africano Mark McCarthy e o australiano Jake Stone. Mark teve a competência de conquistar este somatório para o leaderboard apesar de não ser o melhor para ele. Também pudera, depois da exibição como a do Rawlins, somente era possível o segundo posto. Em quarto, o trialista o havaiano Trevor Kam.

Depois desse show, outra bateria fora do normal entre os australianos Dave Winchester e Michael Novy e os locais Jorge Colomer e Milton Montalvo. Winny fez o dever de casa e deu aula de como se executa um aerial perfeito e limpo, manobra que lhe resultou um high score, o primeiro lugar e uma bela imagem para o vídeo final do evento.
Em segundo, e para felicidade da torcida, o boricua Colomer conseguiu superar Novy e seu conterrâneo Montalvo.
 
A última bateria da fase foi um duelo de gerações. Uma das estrelas de antigos filmes que, certamente, inspiraram muitas seções de surf de atletas tops da atualidade: o californiano Joe Grodzen. Ele enfrentou o australiano Damian King e também os jovens talentosos Yeray Martinez e Amaury Laverhne, que dispensa apresentação. Apesar de todo o esforço dos veteranos, o momento foi dos jovens. Amaury venceu, Yeray foi segundo. King, terceiro e, em quarto, Grodzen.

Feminino
Entre as mulheres, Karla Costa Taylor conquistou a maior nota e o maior somatório da fase com um grande El rollo que lhe renderam 9 pontos, dos 10 possíveis!

Neymara Carvalho também mostrou radicalidade ao fazer um aéreo e chegar a segunda maior pontuação.


Dropknee
Na categoria drop knee, o local Javier Cruzado mostrou seu conhecimento local para dominar a bateria, surfando bons tubos, fazendo aéreos e deixando seus adversários em situação de combinação de ondas.

Ryan Hardy e Aden Kleve também foram alguns dos destaques desta fase.


Amanhã, o swell deve ganhar potência e ondas de até 10 pés sólidos podem quebrar na incrível praia de Middles, Isabela.



 

Damian King Bodyboarder Visual do evento Visual do evento Ryan Hardy Chiaki Okuyama Bancada de pedras Bodyboarder Visual do evento Primeiros raios de sol na manhã deste sábado em Isabela Área de atletas Bodyboarder Damian King Dave Winchester Bodyboarder Bodyboarder Dave Winchester Ryan Hardy Dave Winchester Ryan Hardy Karla Costa Taylor Damian King Damian King Milton Montavio Mitch Rawlins Rafael Rivera Mitch Rawlins nota 10! Roberto Bruno Uri Valadão Aden Kleve Jeff Hubbard Lilly Pollard Minami Hatekeyama Paisagem Ryan Hardy Masculino GSS - round 1 Masculino GSS - round 2 Feminino Shaggy e Dave Winchester Alberto Colucci Jeff Hubbard PLC Neymara Carvalho
Comente
0 comentários Comente agora!
Compartilhe

AO VIVO - RedBull TV - Encanto Pro Puerto Rico

Postado em 05.11.2011

0 comentários

Nesta quarta feira, o campeonato terá sua primeira chamada às 6h (8h em Brasília). O evento foi realizado até a terceira bateria da terceira fase, por isso deve começar com a quarta bateria.

Todos esperam que a organização consiga estabilizar a transmissão para que seja possível desfrutar das imagens direto de Puerto Rico!

 

In St.Pierre it is Friday, 0:00 AM

The full draw and all the days results are available live Mens

 

 
Comente
0 comentários Comente agora!
Compartilhe
TV B2BR
mais videos

B2BR