BLOG

Ben Player, Isabela Sousa e Sacha Specker vencem o GoPro Pipeline 2013!

Postado em 02.03.2013

0 comentários

O primeiro evento do Circuito Mundial Iba GSS terminou nesta sexta feira em Pipeline. Esta importante etapa oferece pontos que podem ser decisivos na definição do título do ano, além do prestígio de ser campeão sobre as mais famosas bancadas de corais do mundo no Hawaii.

A bateria de abertura do último dia de competição, Round 6, foi de baixa para o Brasil. Magno Passos, atleta da equipe Classic Fins, acabou eliminado em terceiro lugar em uma bateria extremamente disputada contra os australianos Damian King, Nick Ormerod e o sul africano Jared Houston. A forte correnteza deixou a formação irregular das ondas. O veterano King venceu a bateria e, em segundo, ficou o jovem Jared.

Outros dois competidores brasileiros estariam no mar no segundo embate da fase. Dessa vez, o multi campeão Guilherme Tâmega e Uri Valadão, dois brasileiros campeões mundial. Eles competiram contra o local Spencer Skipper e o porto riquenho Ruben "Babe" Quiñoñes. Em outra bateria marcada pelas condições irregulares e pelo vento lateral que aumentava a cada momento, os dois brasileiros tiveram desempenhos totalmente diferentes. GT, que reside na Ilha, teve mais paciência e sorte na escolhe de ondas, mas mesmo assim só conseguiu a segunda colocação frente ao adversário local. Spencer Skipper venceu e eliminou Babe em terceiro e Uri, em quarto lugar.

Na terceira bateria, mais um competidor brasileiro defenderia sua permanência no evento: Lucas Nogueira do Espirito Santo enfrentou dois campeões do mundo: Ben Player e Amaury Lavernhe, e ainda a estrela australiana de muitos vídeos atuais, Jake Stone, um dos mais inovadores bodyboarders da atualidade. Lucas teve uma ótima onda, mas lhe faltou uma segunda nota para compor o somatório e assim ele não conseguiu superar a experiência dos dois campeões mundiais.

No quarto confronto da fase, Eder Luciano era o representante brasileiro na água contra o atual campeão do mundo Jeff Hubbard, Diego Cabrera e a lenda da África do Sul André Botha. Em um início fulminante, Jeff impôs o seu ritmo tradicional e assumiu a liderança para não largar mais. André Botha confirmou sua boa fase e fez duas boas ondas de tubo e manobra que lhe garantiram o segundo lugar. Eder Luciano não encontrou a onda certa para virar a bateria, mesmo com duas boas ondas de tubo e rolo não lhe renderam a pontuação suficiente para a tão sonhada classificação para as quartas de final. Em quarto ficou o atleta canário Diego Cabrera.

A quinta bateria foi realmente incrível. Composta por três australianos, Dave Winchester, Sam Bennet e Ryan Hardy e o sul africano Sacha Specker. Winny fez uma bateria impecável desde a primeira onda de um tubo gigante. Na segunda, uma boa combinação de ARS e rolo que lhe garantiu a vitória. Em segundo ficou Hardy que completou um bom aéreo.

Na sexta bateria, o destaque foi a vitória do veterano Mike Stewart sobre Mitch Rawlins num duelo da velha e nova gerações. Pierre Louis Costes venceu a sétima bateria em que o surpreendente atleta japonês Yoshitada Kondo foi segundo colocado. Ele é o primeiro competidor de seu país a se classificar para as quartas de final. A última bateria da fase foi vencida pelo local Dave Hubbard, sendo o australiano Andrew Lester o segundo classificado.

Quartas de final
Guilherme Tâmega era o último competidor brasileiro em prova. Uma bateria de campeões do mundo com Damian King, Amaury Lavernhe e André Botha. Onze 11 títulos em um confronto inédito na história do esporte que valia a classificação para as semifinais e a permanência no maior evento do ano!

Numa bateria sensacional, King mostrou que é da "realeza" do esporte e foi o primeiro classificado com todos os méritos. A maior dificuldade era definir o segundo entre tantas lendas, em uma das mais equilibradas baterias do dia! Felizmente para a torcida brasileira GT conquistou a segunda colocação!

A segunda bateria foi outra verdadeira "pedreira". Na água, os locais Jeff Hubbard e Spencer Skipper contra o sul africano Jared Houston e o aussie Ben Player. Jeff mostrou a competência de sempre e passou com uma certa facilidade, inclusive trocando nota no final com 360 aéreo. Ben ficou em segundo com sua clássica linha de ondas, mostrando sintonia com Pipeline.

Dave Winchester "destruiu" o heat! Pierre Loius Costes fez o seu melhor, mas não conseguiu superar a performance do aussie mesmo com um ótimo backflip. Os australianos Mitch Rawlins e Andrew Lester sequer ameaçaram a classificação de seus adversários.

Na última bateria das quartas, duas lendas locais: Mike Stewart e Dave Hubbard contra o australiano Ryan Hardy e o surpreendente japonês Yoshitada Kondo. Confirmando o favoritismo, "tio Mike” e sua barba mostraram como se faz um bom tubo, vencendo a bateria com direito a 360 dentro do tubo! DHubb conseguiu a classificação no final, após ser fortemente ameaçado pelo competidor japonês que, ao contrário do que se imagina, é um excelente tube rider!

Semifinais
O primeiro confronto foi marcado pela eliminação do último representante brasileiro. Guilherme Tâmega só não conseguiu a classificação porque insistiu em tentar o 360 aéreo, manobra audaciosa, que rende bons pontos quando a completa. Damian King foi quarto, em uma bateria sem expressão. Jeff Hubbard se classificou em primeiro e Ben Player, em segundo.

Dave Hubbard surpreendeu a todos na segunda bateria, garantindo a sua vaga na final com a maior pontuação das semis. Pierre Louis Costes ficou com a segunda vaga, eliminando a Dave Winchester em terceiro e Mike Stewart em quarto.

Finais
Drop Knee
A categoria foi vencida pelo campeão mundial do ano passado, o sul africano Sacha Specker que conquistou o título The King of Pipe contra os melhores atletas da modalidade. Em segundo, ficou Dave Hubbard, em terceiro, Dave Winchester e Cesar Bauer, em quarto.

Feminino
Nenhuma surpresa na final feminina! A brasileira Isabela Sousa conquistou sua segunda vitória consecutiva em Pipe, confirmando que está um nível acima das outras competidoras! Em segundo, ficou a japonesa Minami Hatekayama que tem mostrado grande evolução e por isso a brasileira Karla Costa Taylor, apesar de toda a sua experiência, não conseguiu superá-la. Fechando, em quarto, a japonesa Sari Ohhara.

Masculino GSS
A grande final foi, sem dúvidas, a melhor bateria de todo o campeonato! O havaiano Jeff Hubbard liderou toda a disputa, mas, no último minuto, Ben player encontrou a onda que lhe permitiu vencer o campeonato, conquistando seu primeiro título em Pipeline! Ben Player é o "King of Pipe"e lança sua candidatura ao título mundial!

Pierre Louis Costes ficou em terceiro e os irmãos Hubb tiveram o privilégio de juntos participarem da final. Jeff ficou com o segundo lugar e Dave foi quarto.

Ben Player vence o Pipeline Challenge 2013 Ben Player Ben Player e Ryan Hardy Finalistas da categoria principal masculina GSS Amaury Lavernhe Andrew Lester Ben Player Ben Player na onda da vitória Ben Player na onda da vitória Ben Player na onda da vitória Ben Player na onda da vitória Ben Player na onda da vitória Ben Player na onda da vitória Dave Hubbard Dave Hubbard Dave Winchester Dave Winchester Dave Winchester Dave Winchester Guilherme Tâmega Guilherme Tâmega Jeff Hubbard Jeff Hubbard Karla Costa Taylor Mike Stewart Mike Stewart Minami Hatekayama Mitch Rawlins Pierre Louis Costes Sam Bennett Spencer Skiper Isabela Sousa Finalistas da categoria feminina Finalistas da categoria dropknee
Comente
0 comentários Comente agora!
Compartilhe

Karla Costa e Isabela Sousa estão na final em Pipeline

Postado em 21.02.2013

0 comentários

O segundo dia de competição do GoPro Pipeline Challenge 2013 iniciou em condições muito melhores que as de ontem, quando, por falta de ondas, a direção técnica decidiu postergar o evento por um dia e assim nenhuma atividade aconteceu na quarta feira.

A categoria Dropknee fez sua estreia no evento com o primeiro round, em condições ainda não tão perfeitas. 

O local Bud Miyamoto é um grande conhecedor da onda de Pipe e sempre vai longe nessa prova. Ele foi o grande destaque da fase, seguido pelo porto riquenho Edgardo Gomes, que fez uma performance muito sólida, garantindo a classificação para o Round 2.

A competição seguiu com o Round 2 da mesma categoria e, logo na primeira bateria, o campeão mundial Dave Winchester, mostrou suas habilidades também de joelhos, mostrando ser um dos competidores mais completos da atualidade. O francês Martin Mouradian surfou muito bem, conquistando a maior pontuação da fase. Depois de um grande desempenho no Isa Games, ele também busca um bom resultado no circuito mundial IBA. Grandes nomes acabaram eliminados nesta fase como Mason Rose, Kainoa Mcgee, Damian King e Ryan Hardy que saíram precocemente da competição.


As mulheres voltaram para a água para as quartas de final com as atletas TOP do circuito. Na primeira bateria, a brasileira Maylla Venturin enfrentou a veterana Claudia Ferrari, a japonesa Minami Hatekayama e a australiana Emma Cobb. A dupla brasileira acabou eliminada pelas "gringas" em uma bateria marcada pela grande competitividade. Emma virou o resultado na última onda, praticamente na contagem regressiva, e assim pulou do terceiro para o primeiro lugar com 11,11 pontos. Minami ficou em segundo, mas com a mesma pontuação e, em terceiro ficou Maylla com 11,08, apenas 0,03 de diferença na eliminação.

A segunda bateria foi vencida pela australiana Lilly Pollard, que acertou um bom ARS e venceu seu primeiro duelo contra Isabela Sousa. A cearense, atual campeã mundial, acabou com a segunda colocação deixando a lusa Catarina Sousa em terceiro e a brasileira radicada no Hawaii Roberta Bitzer, em quarto.

Na terceira bateria da fase, uma dobradinha brasileira das grandes amigas Karla Costa e Neymara Carvalho que dominaram a bateria contra as japonesas Aoi Koike e Hiromi Takake. Assim, as duas se classificaram para as semifinais, onde a grande maioria das competidoras é brasileira.

A última bateria deste round foi vencida por mais uma brasileira, desta vez, Maira Viana. Ela se classificou e, ao mesmo tempo, eliminou uma dura competidora: Eunate Aguire, que muito buscou a classificação, mas não conseguiu.


O Dropknee voltou para a água e o único brasileiro a participar do circuito mundial desta categoria, o pernambucano Daniel Alves, participou do primeiro confronto da terceira fase para enfrentar uma verdadeira "pedreira" contra Dave Winchester, Amaury Lavernhe e o peruano Pancho Galdos. Bateria "casca grossa" onde todos surfaram muito bem, apesar do pequeno tamanho das ondas e o forte vento que atrapalhava a formação. Daniel se esforçou, mas se tivesse saído do ótimo tubo de backside para Pipeline ou se tivesse completado a segunda "rasgada" na melhor onda que ele escolheu, certamente, teria conseguido a classificação. Assim Winny e Amaury se classificam para as semifinais. O campeão mundial Sacha Specker e o havaiano Dave Hubbard também venceram suas disputas.

As semifinais também foram realizadas nesta sexta feira. Karla Costa e Isabela Sousa venceram as duas baterias e defenderão as cores de nossa bandeira na final. Contra elas, duas representantes da terra do Sol Nascente, Minami Hatekayama e Sari Ohhara.

E para finalizar o dia de competição, as duas baterias da semifinal da categoria dropknee. Na água, os mestres do estilo na onda mais famosa do planeta! Sacha, Dave Winchester, Amaury Lavernhe e Micah Mcmullin estavam na primeira bateria, mas somente dois deles avançariam para a grande final. Quem levou a melhor foi o obstinado Dave Winchester, que luta pelo seu primeiro título e Sacha Specker que conquistou o segundo lugar e também estará na final!

A segunda bateria foi marcada pelo duelo de dois campeões do mundo na categoria: Dave Hubbard e Cesar Bauer do Peru, que voltou a fazer uma grande prova! Os dois competidores fizeram uma bateria incrível e não deram chance para os demais atletas

O campeonato ficará paralisado durante o final de semana e deve voltar na segunda feira.



Karla Costa Taylor Aoi Koike Karla Costa Taylor Isabela Sousa Amaury Lavernhe Dave Winchester Amaury Lavernhe Dave Winchester Sari Ohara
Comente
0 comentários Comente agora!
Compartilhe

Primeiro dia do evento principal em Pipe

Postado em 20.02.2013

0 comentários

A competição mais aguardada do ano começou nesta terça feira em Pipeline em condições bem longe das ideais, mas, ao menos, melhores que as das triagens.

Apesar das poucas ondas e o forte vento que estragavam bastante a formação, a direção de prova decidiu aproveitar ao máximo a "janela" de espera e colocou no mar o Round 1 e 2 do masculino, válido pelo evento principal.

Neste primeiro dia, a transmissão foi marcada pela constante queda do sinal local, impedindo que muitos internautas pudessem acompanhar as disputas. Alheios aos problemas técnicos, os atletas se destacaram nestas disputas pela garra e força de vontade de vencer suas baterias, mesmo em condições muito difíceis e irregulares. Até por isso, a primeira fase foi marcada por notas baixas. Problema que acabou contribuindo para a eliminação do único brasileiro do round, o carioca Felipe Lima que ficou na terceira colocação, muito próximo ao segundo colocado.

Um dos destaques foi o super star australiano, Ewan Donnachie, que confirmou a ótima forma técnica e a recuperação da lesão, vencendo com uma performance impressionante.

A segunda fase contou com atletas de mais experiência. Os porto-riquenhos Ruben "Babe" Quiñoñes e Rafael Rivera conquistaram grandes pontuações, mesmo com as condições piorando devido à intensidade do vento. Rafael conquistou o maior somatório com 16 pontos.

O único representante brasileiro da fase, o carioca Hermano Castro, foi eliminado precocemente, pois ficou com a terceira colocação da bateria.



As mulheres tiveram seu primeiro contato com Pipeline, apesar das péssimas condições. Quanto menores forem as ondas e quanto menos água houver, maior será o risco de ocorrer algum encontro com a bancada de corais. Então a bravura destas atletas já faz delas grandes vencedoras!

A brasileira Leila Ali venceu sua bateria, classificando-se em primeiro lugar e assim avançou para o Round 2. Mas entre as 16 atletas da primeira fase, seis são japonesas, sendo a nação com maior número de competidoras.

Seguindo fielmente o cronograma do dia, a segunda fase foi para a água. A brasileira Roberta Bitzer conquistou a classificação em segundo lugar, na primeira bateria. Na segunda, Leila Ali e Claudia Ferrari enfrentaram-se em um confronto da velha guarda, mas infelizmente só uma delas passou, Ferrari mostrou que a experiência de viver grande parte de sua vida no Hawaii lhe rendeu a classificando-se com a aussie Lilly Pollard.

A carioca-capixaba Maira Viana fez o maior score entre as mulheres e também estará nas quartas de final.

Elas se juntam às cabeças de chave Maylla Venturin, Isabela Sousa, Karla Costa Taylor e Neymara Carvalho que já estão classificadas e formam uma grande força brasileira na competição em Pipeline!



Na quarta feira, não houve competição em decorrência das condições não propicias para a realização das fases seguintes e assim espera-se que as terceiras fases possam acontecer nesta quinta feira.

 



Visual do evento Leila Ali Visual do evento Tanner Mcdaniel Tanner Mcdaniel Thomas Goyenet Tom Bolitho
Comente
0 comentários Comente agora!
Compartilhe

AO VIVO - GoPro Pipeline Challenge 2013

Postado em 19.02.2013

0 comentários

AO VIVO Via Ibaworldtour

Comente
0 comentários Comente agora!
Compartilhe

Felipe Lima é o brasileiro classificado para o Pipeline Challenge

Postado em 19.02.2013

0 comentários

Depois de dois dias extremamente exaustivos para os atletas pelo longínquo outside da praia de Turtle Bay, foram definidos os trialistas que terão a honra de competir o evento principal na mítica onda de Pipeline!

Não se sabe ao certo porque Turtle Bay é sempre escolhida para os trials de Pipe, pois é uma onda ruim para competições de bodyboarding. Mas, independente disso 16 vagas para o evento principal estavam em jogo.

Entre os representantes brasileiros nos trials, o gaúcho Luigi Ligabue competiu na quarta bateria da segunda fase, mas não conseguiu a classificação. Stephan Stamm ficou em terceiro na oitava bateria do Round 3 com apenas 0,4, menos de meio ponto, de diferença para o segundo colocado.

O campeão mundial e vencedor do Pipe Master, Paulo Barcellos, considerado um dos melhores fotógrafos de água do mundo, teve que participar das triagens em Turtle Bay em uma verdadeira loteria. E foi realmente uma perda para o Brasil, pois Paulo não chegará competir no evento em Pipe com tamanho histórico e morando no North Shore, sendo respeitado por lendas havaianas como um local.

Felizmente, a boa noticia é a classificação do carioca Felipe Lima que conquistou o segundo lugar na primeira bateria do quarto round, tornando-se um dos 16 privilegiados que competem, a partir de amanhã, o evento principal em Pipe!
 

Willy Nepia Murray (New Zeland)
Mick Daley( Australia)
Antonio Cardoso (Portugal)
Omar Font (Puerto Rico)
Heydon Bunting (Australia)
Tom Bolitho (Australia)
Thomas Govenetche (França)
Charles Ward (Australia)
Guy Williment (Australia)
VIjay Maharaj (Canada)
Kainoa French (Hawaii)
Felipe Lima (Brasil)
Brian Wise (USA)
Jacob Pembrook (Hawaii)
Harley Ward (Australia) 



Turtle Bay Turtle Bay Heydon Bunting Heydon Bunting Turtle Bay
Comente
0 comentários Comente agora!
Compartilhe
TV B2BR
mais videos

B2BR