BLOG

Como ser o Circuito Mundial de Bodyboarding 2014?

Postado em 17.01.2014

0 coment�rios

Muitas semanas de expectativa e especulações sobre o futuro do circuito mundial de bodyboarding, após o vexatório cancelamento da última etapa de 2013 pela IBA com o anúncio da decisão do título pelo critério de desempate que acabou por não agradar a grande maioria dos atletas e simpatizantes do esporte.

Eis que surge uma nova entidade chamada IBF - International Bodyboarding Federation que, através de um vídeo de apresentação, perfil em redes sociais e material de merchandising para venda como camisetas, bonés, adesivos e DVDs, prometeu realizar um circuito ao nível do surf de quilhas e seu circuito ASP. Porém, assim como surgiu, também desapareceu e, em poucas semanas, já não é possível encontrar informações sobre esta entidade na web.

Tal fato criou uma grande expectativa e despertou inúmeras dúvidas sobre como seria gerido o esporte no próximo ano.

A IBA ainda não se pronunciou, mas, finalmente, foi confirmado que o Circuito Mundial de 2014 será realizado a partir de um novo formato, como era em 2009, acreditando que ‘voltar para o futuro’ possa ser a melhor saída para o cenário competitivo do esporte.

O primeiro evento da temporada será Pipeline de 18 a 28 de fevereiro e terá a supervisão da mais nova Entidade criada a partir de uma reunião, realizada no dia 5 de Janeiro, que foi crucial para definir o futuro do esporte.

A APB – Associação Profissional de Bodyboarders é uma organização de atletas sem fins lucrativos e tem o intuito de representar a classe dos atletas profissionais, com a colaboração de outros profissionais (como os promotores de eventos) para buscar a melhor direção, protegendo a credibilidade do tour. A Entidade não será responsável por realizar o circuito, mas somente estabilizá-lo. Enquanto a IBA deve continuar a organizar cada evento, a APB vai apenas supervisionar o trabalho feito pela IBA para assegurar que seja feito sempre o melhor para o esporte.


TOUR MASCULINO
A premiação mínima deverá ser de US$.25.000,00 (cerca de R$.60.000,00). O ranking final será decidido a partir da contagem de metade mais um (arredondando para cima) e, em caso de empate, a decisão ficará para o melhor resultado do ano de 2014. Se ainda assim o empate persistir, a contagem será feita regressivamente aos eventos. E, por fim, ainda poderá haver uma disputa entre os atletas empatados.

Os eventos oferecerão 1000 pontos, podendo atingir o máximo de 2000 pontos quando o evento oferecer diferenciais. Por exemplo, são 200 pontos a cada US$15.000,00 a mais em premiação; 200 pontos para infraestrutura (transmissão ao vivo); 200 pontos para 10 dias de janela de espera; 200 ou 400 pontos para qualidade da onda.

1 estrela = 1000 pontos
2 estrelas = 1200 pontos
3 estrelas = 1400 pontos
4 estrelas = 1600 pontos
5 estrelas = 1800 pontos
6 estrelas = 2000 pontos

Masculino TOP 28, Dropknee TOP 8 e Feminino TOP 8
Os atletas serão definidos de acordo com o ranking do ano passado. Todos os atletas deverão pagar inscrições para garantir que exista premiação mínima para cada evento.

Para assegurar a vaga entre os TOP 28, o atleta deverá pagar uma taxa de US$.500,00 (cerca de R$.1.200,00). Este pagamento vai assegurar a posição de TOP 28 (quando o atleta começa a competir o evento sem ser a partir das primeiras fases).

WILDCARDS
Serão, no máximo, quatro atletas masculinos convidados por evento.
A APB poderá indicar mais dois atletas, bem como o promotor do evento também poderá indicar mais dois.

Diretoria APB:
Alex Leon (GM & events Rep)
Mike Stewart (Hawaiian athlete Rep)
Guilherme Tamega (Latin athlete Rep)
Craig Hadden (Technical Operations)
Jeff Hubbard (USA & DK athlete Rep)
Mark McCarthy (Sth Africa athlete Rep)
Chico Garritano (Head Judge)
Ryan Hardy (Australian athlete Rep)
Karla Costa (Womens athlete Rep)
Diogo Marquez (European rep)

Toda a notícia de renovação é sempre bem vinda pela comunidade esportiva, pois atletas e simpatizantes pelo esporte sempre esperam por notícias positivas e querem apoiar àqueles que estão se comprometendo a fazer o melhor pelo Bodyboarding.

Por outro lado, paira a dúvida acerca de algum possível conflito de interesses, pois os atletas que representam esta nova Entidade devem lutar individualmente pelo seu próprio título, inclusive muitos deles possuem suas próprias marcas de pranchas e empresas comerciais. Por mais que a pessoa tente separar interesses coletivos dos seus pessoais e empresariais, é fato que a linha que divide todos estes interesses é muito frágil, por isso fica a dúvida: será que realmente estaremos sendo representados por pessoas neutras nestas questões...

Comente
0 coment�rios Comente agora!
Compartilhe

0 COMENT�RIOS

POSTAR UM COMENT�RIO

Seu coment�rio

Obrigat�rio


Seu nome

Obrigat�rio


Seu email

Obrigat�rio



Seu coment�rio ser� avaliado por nossos moderadores, para que possamos evitar mensagens de spam e de desrespeito com os outros usu�rios do blog.
TV B2BR
mais videos

B2BR